fbpx
3-mitos-ou-verdades-do-ciclismo-MTB-blog-Kadinho

3 mitos ou verdades do ciclismo MTB

Atualizado em dezembro 17, 2019
Por Editor Kadinho Treinamentos

3 mitos ou verdades do ciclismo MTB

Atualizado em dezembro 17, 2019
Por Editor Kadinho Treinamentos
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Fala Atletaaa,

O MTB possui um enorme corpo de conhecimento. 

No dia-a-dia do trabalho com treinamento e no convívio com ciclistas de diferentes níveis e experiências, é muito comum me deparar com algumas informações e perguntas que deixam muitas pulgas atrás da orelha. Existem muitas dúvidas sem resposta, ideias equivocadas, coisas relativas, e claro, os grandes mitos que ouvimos aqui e ali.

Reuni 3 algumas dessas verdades, inverdades, mistérios e mitos junto com alguns comentários. Que fique claro: não há verdade universal. Consensos científicos podem ser derrubados por novas pesquisas, as táticas e técnicas evoluem e o público que consome o esporte também muda ao longo das décadas. Até mesmo os grandes ídolos tornam-se vilões da noite para o dia. Portanto, sinta-se livre para concordar, discordar e até mesmo sugerir outras verdades e inverdades para a nossa lista.

1º Mito – Chá de selim

Verdadeiro. Ter volume é fundamental!

Para quem ainda não está nesse ponto, não há outra maneira: chá de selim. Mas não adianta ir para a estrada e esgotar toda a sua energia e motivação de uma vez. Aumente gradualmente a distância entre cada treino, ouvindo seu corpo e respeitando suas necessidades de descanso e recuperação adequada. Essa fase também é ideal para ajustar algumas coisas básicas, e isso vale também para quem já está em forma: trabalhar cadência e técnica da pedalada.

Os medidores de potência e outras ferramentas estão aí para comprovar cientificamente que quantidade de treino não é qualidade. Tudo vai de acordo com sua condição física, limites e níveis de esforço para fazer o treino correto com evolução. 

2º Mito – Quebra pau ou Rachões

Falso. Esteja atento também à intensidade, pois o ciclista jamais deve empregar todo o seu tempo sobre a bike em treinos muito fortes. 

Manter um nível de esforço sempre muito alto é um deslize comum entre os atletas que treinam sem acompanhamento profissional, o que resulta em estagnação, overtraining e lesões.

Se quer fazer um “quebra pau” com os amigos faça pelo menos uma vez, o descanso é parte fundamental do treinamento.

 É durante a recuperação que o corpo se adapta para as exigências do exercício.

3º Mito – Bater o kom

Controverso. O Strava é a rede social de treinos que dominou o mundo do ciclismo. Centenas de milhares de ciclistas de todo o mundo registram os seus treinos e disputam entre amigos a liderança dos segmentos, com a intenção de bater o “kom”.

 A disputa é interativa, os atletas ficam sob vigília de quem está na liderança e quem está com o melhor tempo a ser quebrado, gerando um entretenimento atrativo.

 Isso vira um vício de pedalar sempre em altíssimas intensidades para superar o melhor tempo, geralmente como treinador não recomendo, quando praticado rotineiramente não deixa o atleta recuperar suficiente, levando a uma fadiga acentuada, com possíveis danos para sua performance.

O importante é você acompanhar e se desafiar sempre, buscando a sua melhora através de métricas específicas e individuais.

Abraços,

 kadinho!

Editor Kadinho Treinamentos, aqui no Blog.

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: 3 mitos ou verdades do ciclismo MTB.


0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tenha o total controle das informações do seu negócio, e conte com a nossa solução para crescer com você.